Notícias

CIC-BG referenda otimismo demonstrado por empresariado gaúcho

CIC-BG referenda otimismo demonstrado por empresariado gaúcho

Levantamento da Fiergs mostra industriais com elevada confiança na economia

 

A retomada econômica tem animado o empresariado gaúcho. O levantamento mensal realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) para medir o Índice de Confiança do Empresário Industrial ficou em 64,9 pontos em outubro, bem acima da média histórica de 54,3 pontos. A marca é praticamente a mesmo registrada em setembro, quando atingiu 65,2, demonstrando uma estabilização em patamar elevado.

O indicativo acima de 50, numa escala que vai de 0 a 100, demonstra confiança. Para o presidente do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), Rogério Capoani, esse otimismo do industrial gaúcho se reflete também no município. “Nós podemos perceber essa confiança por aqui, com nossos segmentos industriais tendo que trabalhar muito para atenderem pedidos, o que é muito bom. O nível industrial está alto, e como no Observatório da Economia (OECON) também demonstrou, as indústrias são as principais contratantes de mão de obra, puxando a alta também no número de empregos, o que é sempre um bom indicativo de que a economia está andando”, observa Capoani.

Em outubro, o percentual de empresários que percebeu melhora (45,4%) na economia brasileira foi mais de duas vezes superior ao percentual que percebeu piora (20,8%). O Índice de Condições Atuais, levando em conta os últimos seis meses, cresceu pelo quinto mês seguido em outubro, atingindo 60,7 pontos (1,3 a mais do que setembro). A percepção favorável dos empresários também aumentou, em relação a setembro, quanto à economia brasileira, de 54,6 para 56,7 pontos; quanto à economia do Estado, de 47,8 para 51,5 pontos; e quanto às condições das empresas, de 61,8 para 62,7 pontos.

Em relação aos próximos seis meses, o Índice de Expectativas atingiu 67,0 pontos ante 68,1 em setembro. “Há poucos meses, o cenário imaginado pela maioria era de que o ano estava perdido. Mas o consumo represado e a injeção de recursos do governo oportunizaram uma boa retomada, com chance de fechar o último trimestre do ano com números até melhores do que no ano passado”, comenta Capoani. A pesquisa foi realizada com 208 empresas entre os dias 1 e 14 de outubro.

Um outro dado animador divulgado pela Fiergs neste mês mostra que a indústria gaúcha segue em acelerado nível de atividade e está prestes a atingir os patamares de fevereiro, portanto, antes dos efeitos causadas pela pandemia. O Índice de Desempenho Industrial cresceu 4,6%, em setembro em relação a agosto. Muitos foram os fatores que influenciaram para isso. Entre eles estão o relaxamento das restrições aos setores produtivos, assim como a alta da demanda, a queda nos juros e os recursos emergenciais distribuídos pelo governo.

 

Para conferir os estudos da FIERGS, acesse: https://bit.ly/36fHKuw