Sobre as paralisações e manifestações pelo país

 

Diante do cenário que tem se desenhado na sociedade brasileira, em razão da paralisação dos caminhoneiros, o Centro de Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves, enquanto entidade representativa de classe, clama pelo urgente restabelecimento da normalidade no atendimento e abastecimento da população – bem como das forças produtivas que movem o país.

Faz-se necessário aplicar o bom senso e buscar o equilíbrio entre a liberdade de manifesto por reivindicações – muitas delas pertinentes, é verdade – e o ocasionamento de prejuízo à sociedade e ao desenvolvimento macro. Esgota-se o tempo para que os serviços essenciais à população, como saúde, segurança e educação, bem como abastecimento de diversos itens de primeira necessidade, sejam reestabelecidos.

O CIC-BG se solidariza com o movimento dos caminhoneiros por entender que esse manifesto extrapola os limites da categoria, recebendo o apoio de toda a sociedade como forma de expressar a indignação pelos altos impostos e pelos gastos exorbitantes na estrutura governamental, tanto no judiciário quanto no legislativo e no executivo. O povo brasileiro chegou a um ponto de saturação e insatisfação, onde não mais tolera a importância do Governo diante dos altos custos sugados para manter a máquina pública – sem qualquer movimentação no sentido de buscar sua redução.

Porém, não é possível admitir que esse protesto cause danos irreparáveis ao país, a sua população e, especialmente, àqueles que diariamente trabalham pelo progresso da nação. Não é possível castigar ainda mais com essa série de prejuízos quem move – e promove – o desenvolvimento do Brasil.

Cordialmente

 

Elton Paulo Gialdi

Presidente do CIC-BG

 

" /> CIC Bento Gonçalves

Notícias

Nota oficial do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves

Nota oficial do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves

Sobre as paralisações e manifestações pelo país

 

Diante do cenário que tem se desenhado na sociedade brasileira, em razão da paralisação dos caminhoneiros, o Centro de Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves, enquanto entidade representativa de classe, clama pelo urgente restabelecimento da normalidade no atendimento e abastecimento da população – bem como das forças produtivas que movem o país.

Faz-se necessário aplicar o bom senso e buscar o equilíbrio entre a liberdade de manifesto por reivindicações – muitas delas pertinentes, é verdade – e o ocasionamento de prejuízo à sociedade e ao desenvolvimento macro. Esgota-se o tempo para que os serviços essenciais à população, como saúde, segurança e educação, bem como abastecimento de diversos itens de primeira necessidade, sejam reestabelecidos.

O CIC-BG se solidariza com o movimento dos caminhoneiros por entender que esse manifesto extrapola os limites da categoria, recebendo o apoio de toda a sociedade como forma de expressar a indignação pelos altos impostos e pelos gastos exorbitantes na estrutura governamental, tanto no judiciário quanto no legislativo e no executivo. O povo brasileiro chegou a um ponto de saturação e insatisfação, onde não mais tolera a importância do Governo diante dos altos custos sugados para manter a máquina pública – sem qualquer movimentação no sentido de buscar sua redução.

Porém, não é possível admitir que esse protesto cause danos irreparáveis ao país, a sua população e, especialmente, àqueles que diariamente trabalham pelo progresso da nação. Não é possível castigar ainda mais com essa série de prejuízos quem move – e promove – o desenvolvimento do Brasil.

Cordialmente

 

Elton Paulo Gialdi

Presidente do CIC-BG