Notícias

Serra avança com conquistas na infraestrutura

Representantes do Senado, DNIT e Ministério da Infraestrutura traçaram panorama no RS em encontro promovido pela CICSSERRA e pelo CIC-BG, em Bento Gonçalves

 

Com a apresentação de investimentos nas áreas de transporte e logística no Rio Grande do Sul, representantes do governo federal mostraram um panorama da situação das estradas e de outros modais na Serra gaúcha, em painel realizado em Bento Gonçalves, na noite de 22 de novembro, com promoção do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG) e da Associação das Entidades Representativas de Classe Empresarial Gaúcha (CICS Serra).

Em meio a anúncios como o investimento de cerca de R$ 5 bilhões no porto de Arroio do Sal – cujos detalhes serão conhecidos nesta terça-feira (23), na Capital – o encontro reuniu o senador Luís Carlos Heinze, o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Hiratan Pinheiro Da Silva e o analista de Infraestrutura do Ministério da Infraestrutura, Eduardo Rocha Praça.

O futuro da BR-470 foi uma das principais pautas. Conforme o superintendente regional do DNIT, Hiratan Pinheiro da Silva, um estudo de viabilidade técnica econômica ambiental (VTA) apontou a necessidade de contratação de um projeto para contemplar melhorias num trecho de cerca de 80 quilômetros, entre Nova Prata e Carlos Barbosa. "Queremos lançar o edital de contratação no primeiro semestre de 2022; o estudo apontou a necessidade de melhoria de capacidade, duplicação, restauração da pista existente, alargamento", disse.

Antes desse, no entanto, há outro mais prioritário, conforme os estudos: o de Lagoa Vermelha-Barreto a Nova Prata. É um importante trecho, com projeto já contratado, de 64 quilômetros que fará a ligação com as BRs 285 e 116 e com o norte do Estado e do país.

Entre algumas obras pontuais previstas para a BR-470 está a restabilização da Ponte Ernesto Dornelles, um dos símbolos de engenharia no Estado. A análise de risco já foi concluída, assim como o anteprojeto. A ideia é que ela entre na categoria de pontes que suportem 45 toneladas. "As obras devem durar cerca de um ano, pois são num local complexo. Queremos contratar o projeto no primeiro semestre do ano que vem", disse o representante do DNIT.

Neste ano, o orçamento destinado pelo governo para obras no Estado é de R$ 612 milhões. Com esse dinheiro, por exemplo, não seria possível fazer o prolongamento da BR-448 com a RS-122, uma das obras desejadas pelas lideranças serranas, estimada em cerca de R$ 1 bilhão. E o espaço para investimentos no Estado seria de R$ 15 bi, quase o dobro do orçamento do Ministério da Infraestrutura para todo Brasil – pouco menos de R$ 8 bilhões. "Esse é o tamanho de nosso desafio", comentou o analista de Infraestrutura do Ministério da Infraestrutura, Eduardo Rocha Praça, outro painelista convidado.

Por isso, a busca por parcerias. "Temos necessidade de concessões e PPPs, para fazer o adequado com os recursos da União e o necessário com os recursos privados", disse Silva. Num esforço para contemplar as obras que não são exequíveis no momento, como a da BR-448, outras obras no entorno acabam ganhando evidência. É o caso da obra de alargamento da ponte sobre o Rio dos Sinos, em São Leopoldo, na BR-116, e do futuro viaduto no acesso à RS-240, no bairro Scharlau, com outras melhorias. Juntas, as obras vão consumir mais de R$ 120 milhões.

 

Heinze reforça apoio às demandas da Serra

Outra obra importante para ajudar no alívio sobre a BR-116, na Região Metropolitana, é a rodovia Transaçoriana. Com destinação de R$ 8 milhões para a rodovia pelo senador Luis Carlos Heinze, também presente no evento do CIC-BG e da CICS Serra, através de recursos extras, a estrada se tornará uma alternativa para utilizar a 116. "O acesso para quem vem da Serra é nas proximidades do Campus da UCS em São Sebastião do Caí, chegando a Nova Santa Rita e à BR-386", disse o senador. Heinze é um importante aliado e articulador das demandas da Serra gaúcha junto à esfera Federal, sempre presente nas pautas da região e focado na busca por soluções para os problemas e gargalos de infraestrutura que comprometem a região.

A BR-285, na região de São José dos Ausentes, ajudará as cidades dos Campos de Cima da Serra e de cidades como Passo Fundo a encontrar a BR-101. No próximo ano devem ser concluídas as obras de oito quilômetros no lado gaúcho da estrada e de outros 800 metros na parte catarinense da rodovia. "Quando tiver o porto, vai ter essa ligação da parte norte com o litoral", projeta o senador.

O encontro desta segunda-feira é uma extensão da reunião realizada em 2019, também no CIC-BG, quando diversas lideranças regionais foram mobilizadas para o Fórum da Infraestrutura. Muito se avançou desde então. Presente naquele encontro, Heinze destacou, além do andamento do projeto que dará o segundo porto marítimo ao Rio Grande do Sul, outras iniciativas de infraestrutura na região, como o Aeroporto de Vila Oliva, em Caxias do Sul.

A obra terá um custo de R$ 204 milhões e aproximará turistas do país da Serra e das Hortênsias – o aeroporto fica a menos de 60 quilômetros de Gramado. "Vai pousar qualquer tipo de avião, turístico ou comercial", comemorou Heinze. A estrada de acesso entre Vila Oliva-Gramado, de menos de 60 quilômetros, custará mais de R$ 100 milhões e deverá ser viabilizada via PPP.

Presidentes elogiam avanços e destacam parcerias

 

O presidente do CIC-BG, Rogério Capoani, destacou em seu pronunciamento os esforços coletivos entre iniciativa privada e poder público para solucionar gargalos logísticos. "Esse é um momento ímpar para entendermos, juntos, a conjuntura que envolve o assunto da infraestrutura e criarmos, coletivamente, caminhos para vencer esses obstáculos", disse.

Capoani também falou sobre a pujança dos setores produtivos da Serra, reforçando que as questões estruturais acabam por atrapalhar a obtenção de melhores resultados das empresas, prejudicando o progresso e a geração de emprego e renda. "Já avançamos, e contem conosco para avançarmos cada vez mais. Quem dá muito, precisa ter o retorno de muito", comentou um dos anfitriões da noite.

O presidente da CICS Serra, Elton Paulo Gialdi, disse que a presença de cada participante do painel legitimava e fortalecia o desejo por melhorias nas questões infraestruturais do Estado. "Queremos sensibilizar o governo federal da necessidade e importância de colocar em sua pauta de investimentos a conclusão e a duplicação da BR -470 e também de melhorias na BR-116, em especial em São Marcos", disse Gialdi.